Blog
Comprar ou alugar? A dúvida que não quer calar
18/04/2019 - 00:00

O compartilhamento é um comportamento novo, sendo disseminado principalmente por conta da ameaça dos recursos finitos que existem hoje no mundo, uma boa maneira de ajudar o planeta, pagando menos e ainda tendo diversificação nas roupas. No segmento Festas e Ocasiões Especiais, esse compartilhamento já existe há algum tempo.


Na busca de um traje elegante para um evento, buscamos roupas que mais se alinhem ao nosso estilo, e que tenham um caimento perfeito em nosso corpo, assim trazendo à tona nossa beleza natural. Nesse percurso surgem as seguintes questões: "qual é o mais adequado para o evento?" e se "vale a pena comprar ou alugar um traje?”.


Em primeiro lugar, é importante descobrir se o evento é Black Tie, social completo, esporte fino, miniwedding, ou até casamento na praia e campo. Definida a ocasião, é possível ter uma ideia do tipo de traje ideal. Agora vem a hora das compras, ou aluguel do traje. Essa é a parte que causa muita indecisão nas pessoas.


Segundo Tawna, Jornalista e Apresentadora do League News Br e CBLoL, é interessante fazer uma busca por preços. Dependendo do valor, e se ele será utilizado com mais frequência, a compra é viável,  mas se o custo for muito alto, é compensável o aluguel.

“Depende muito do preço, se for caro demais pra comprar prefiro alugar”.

Tawna durante o prêmio eSports BR trajando Tidy Rigor


Julia Simelmann, formada em Moda pela Escola Técnica Estadual de São Paulo, compartilha da mesma ideia e ressalta o descaso que as pessoas fazem com seus trajes, deixando-o no armário ou abandonando-o, por ter sido utilizado apenas em uma ocasião.


“Eu acho uma boa [alugar]. Até porque a maioria das pessoas acabam usando aquela roupa para apenas um evento, então vale a pena alugar ao invés de comprar. Geralmente elas [pessoas] tem aquele negócio de não gostar de repetir roupa de festa. Então, acaba valendo a pena do que você comprar algo e deixar lá mofando.”conclui.


A sustentabilidade anda redefinindo leis e modelos de consumo que emanam reflexos mais empáticos com o ser humano e o planeta.  O consumidor está menos engajado em comprar inúmeras peças de roupa como sugere o fast fashion. A sociedade está mais consciente dos impactos causados pelo consumo e está mais disposta a compartilhar experiências do que possuir algo. Além disso, o compartilhamento é um meio mais acessível de se ter variedade gastando menos.

Um dos diversos relatos de abandono de traje vem de Fernanda Iwamoto, estudante de direito pela Faculdade Presbiteriana Mackenzie. A estudante demonstra seu arrependimento pela compra e revela seu interesse pela locação.


“Eu prefiro alugar vestido, no caso de eventos. Não é todo dia que vou usar então não compensa comprar e deixar guardado. Por exemplo, em minha formatura comprei um vestido, no qual deveria ter alugado. Sinceramente não sei o que se passou em minha cabeça e tá guardado até hoje porque não uso. Por isso, acho mais fácil alugar do que deixar guardado.”


Julia Olliver durante o prêmio eSports BR trajando Tidy Rigor


Existe também a opção de se fazer um Primeiro Aluguel, onde o vestido é desenvolvido sob medida. Se a pessoa tem vontade de ter uma experiência única e tem a possibilidade de investimento, então essa é uma opção interessante. São narrativas contadas sem palavras, expostas através do delinear da silhueta, a trama das linhas e a identidade visual.


“Se for um evento em que a pessoa tem interesse e pode investir, ter essa experiência é algo único é bem legal. Então, acho que vale a pena.”, Conclui Simelmann.


Ana Julia conta que, para sua festa de 15 anos teve dificuldades em achar um traje, mas com o Primeiro Aluguel da Tidy Rigor, encontrou a verdadeira forma do vestido dos seus sonhos, tornando sua festa memorável.


“A escolha de um traje para uma festa, é algo que pensamos muito e sempre esperamos que seja o mais parecido possível com o nosso tão sonhado traje”. Ela diz que foi possível utilizar mais artifícios para deixar o traje do modo que gostaria”. ‘Para minha festa, eu pude sonhar junto ao Ateliê, e tudo que eu propus, eles fizeram com muito amor e com qualidade. Quando eu sonhei com meus looks, eles me deram ideias de como complementá-los”, afirma.


No mercado de aluguel de roupas de festa, a busca pela diferenciação nos serviços é constante. Com tantas opções, não basta só proporcionar o serviço, mas sim ter um propósito bem articulado, um atendimento diferenciado e uma entrega personalizada.


A Tidy Rigor dispõe de um rico acervo de trajes, e ainda possibilita a criação de um vestuário no Ateliê do Primeiro Aluguel. Desde 1983, oferece a locação de peças autorais, e também nacionais e importadas, que seguem as tendências da moda e atendem às exigências de toda a família e qualquer tipo de evento.


Visite uma das lojas e encante-se com a singularidade das criações!

Fernanda Queiroz com tubinho preto de cristais desenvolvido no Ateliê da Tidy Rigor

Brenda Duarte veste longo de cristais Swarovski para a valsa de seu aniversário de 15 anos


Busca
Categorias